Plataforma Vibratória

Imprimir
PDF


O conceito científico de plataforma vibratória foi desenvolvido há cerca de 30 anos, na antiga União Soviética, para combater a perda óssea ocorrida durante a permanência dos astronautas no espaço. A primeira aplicação, portanto, foi no tratamento da osteoporose.

O sistema baseia-se em repetir um estímulo sobre os músculos, tendões e ligamentos, o qual gera uma resposta de contração imediata, sem sobrecargas. Adotando diferentes posturas sobre a plataforma, os músculos são oxigenados e consegue-se queimar a gordura corporal.

Pode ser usada por pessoas de qualquer idade, tendo como contra indicações: grávidas, portadores de marca-passo, próteses no joelho, bacia ou pinos metálicos.

Os exercícios realizados sobre a plataforma são intensos e apresentam benefícios diversos como: redução da gordura visceral e subcutânea, melhora do tônus muscular, aumento da densidade óssea, redução do colesterol e excesso de gordura corporal, fortalecimento das articulações, melhora do funcionamento intestinal, aumento do metabolismo basal auxiliando na redução do peso, aumento da força e resistência muscular.

Estudos com a vibração mostram uma melhora na qualidade de vida devido ao aumento de hormônios anabólicos como o GH e a testosterona e redução nos níveis do cortisol (hormônio do stress) e também aumento da seratonina, proporcionando um intenso bem estar.

Na estética, o efeito anticelulite é notório devido a ativação da circulação periférica e do aumento da secreção do GH levando à eliminação de depósitos de gordura e a melhora da oxigenação tecidual.

Geralmente sugere-se 3 sessões semanais com duração de  quarenta (40) minutos, devido à intensidade gerada pela vibração, por exemplo, 10 abdominais realizadas sobre a plataforma correspondem a 70 abdominais fora da mesma.